Mãe de garoto que morreu em quadra conta que ele relatou preocupação com crises de asma após morte de Fernanda Young

- publicidade -

A mãe do adolescente que acabou falecendo em uma quadra do condomínio onde morava na cidade de Jundiaí, em São Paulo, depois de ter passado mal, relatou que o menino antes de sua morte se mostrou preocupado com as crises de asma que tinha. O garoto ainda revelou uma preocupação maior após a morte de escritora Fernanda Young, no dia 25 de agosto.

Segundo foi relatado pela mãe do menino, Marilda Bonilha Dernarde, o filho sempre tomou muito cuidado em relação a asma, e que após a morte da escritora ele passou a ter mais cuidado ainda e sempre prestou muita atenção a respeito da doença.

A mãe conta que o menino viu uma reportagem na televisão no dia da morte de Fernanda Young, e que a chamou preocupado com a situação e lhe perguntou se havia a possibilidade dele morrer pelo mesmo motivo da escritora, e ela o tranquilizou dizendo que deveria apenas prestar atenção.

Em um laudo que foi divulgado nesta semana a respeito da morte do garoto, foi comprovado que o motivo que levou a morte dele foi devido a falência respiratória, edema agudo dos pulmões, asma brônquica crônica e esforço físico em esportes.

Marilda relatou também que o filho havia passado por uma bateria de exames logo no começo do ano para avaliar a respeito de sua condição cardíaca e pulmonar, e que no momento foi constatado que tudo estava perfeito. Ela conta ainda que em toda a vida do menino ele precisou de atendimento médico uma única fez em que precisou ficar no oxigênio.

O garoto que fazia parte do time sub-14de basquete da cidade de Jundiaí, sempre gostou muito de praticar esporte, e como foi informado pela mãe, ele nunca tinha sofrido nenhum problema devido a esforço pelos esportes praticados.

No dia em que o menino morreu, 27 de setembro, ele se encontravam muito feliz pois havia sido promovido para o time do sub-15 da cidade.

A mãe conta que no dia em que o garoto acabou sendo promovido para o time sub-15, mesmo dia de sua morte, o dia acontecia de forma comum, como qualquer outro.

No momento em que Enzo acabou passando mal na quadra, ele foi socorrido por uma ambulância do SAMU porém não conseguiu resistir. A mãe relatou que o caçula da família, de 10 anos de idade, ajudou os moradores do condomínio onde moravam com a massagem cardíaca no irmão.

O irmão caçula, segundo foi contado pela mãe, havia aprendido na escola na semana anterior a respeito da massagem cardíaca, e no momento em que aconteceu tudo ele gritava para que o irmão não o deixasse. O menino chegou a voltar duas vezes com a massagem cardíaca, porém a felicidade durou pouco mesmo com toda a comemoração dos bombeiros no momento.

 

- publicidade -

Escrito por Reginaldo Ribeiro Teodoro

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.