Laudo do IML mostra que a menina Raíssa sofreu abuso e foi torturada antes de morrer

A menina sofreu abuso sexual antes de morrer e foi torturada.

Um caso recente chocou o país quando a notícia de uma menina autista chamada Raíssa Eloá Caparelli Dadona de apenas 9 anos foi encontrada morta amarrada em uma árvore no parque Anhanguera que fica na zona norte.

O mais chocante de toda essa história absurda foi descobrir que um garoto de 12 anos foi o responsável pela morte de Raíssa. O laudo da Polícia Técnico-Científica de São Paulo mostrou que Raíssa foi vítima de abuso sexual e morreu por asfixia. O garoto de 12 anos que confessou o crime está apreendido na Fundação Casa.

O laudo que foi divulgado nesta quinta-feira (17) aponta várias lesões sofridas pela menina, Raíssa foi torturada e sofreu muito, o laudo apontou lesões que são compatíveis com mordidas, estrangulamento, enforcamento e o corpo arrastado.

A frieza do assassino é de assustar, pois o mesmo usou objetos perfurantes para causar ferimentos graves em Raíssa que foi espancada. De acordo com a médica Legista não há ferimentos compatíveis com reação de Raíssa.

As lesões que comprovaram o abuso sexual foram confirmadas e também a introdução de um objeto contundente na criança que foi sodomizada, os exames também comprovaram que não havia álcool ou drogas no organismo de Raíssa.

Escrito por Cláudia Lm

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.