Aposentada fala sobre melhora de depressão após jogar Pokemon Go: “voltei a sorrir”

Francisnete Cardoso conta que o jogo ajudou a lhe devolver alegria em sua vida

- publicidade -

A aposentada Francisnete Almeida Cardoso de 60 anos de idade relatou que após começar a jogar o jogo “Pokémon Go” isso se tornou um grande divisor de águas em sua vida. A aposentada que vinha enfrentando uma grave crise de depressão viu sua vida mudar após o jogo.

Após ter sido diagnosticada com a doença em 2018, ela relata que resolveu baixar o aplicativo do jogo, que foi uma grande febre no ano de 2016 em seu lançamento. Ela conta que resolveu baixar o jogo por influencia de seu filho.

Porém, após começar a capturar os monstrinhos a aposentada começou a encontrar motivos para poder sair de casa. Depois de começar a jogar “Pokémon Go” ela começou a sair mais de casa, o que ajudou muito com a doença.

Francisnete declarou que como “Pokémon Go” instalado em seu celular ela começou a se divertir mais e que quando ela estava agoniada em sua casa, para não tomar mais remédios e ir mais vezes ao psiquiatra ela optava por usar o jogo como uma espécie de válvula de escape.

Ela que sofre de depressão desde 2018, também foi diagnosticada com um adenoma (tumor benigno) no cérebro. Ela precisou contar com ajuda de seu filho para leva-la para cumprir o tratamento da doença.

Devido a doença da mãe, o rapaz de 24 anos precisou atrasar a sua formatura. Isso acabou fazendo com que a mãe se sentisse muito culpada, e o que fez com que as crises de depressão dela acabassem se agravando mais.

Ela conta que em um dia que estava voltando com seu filho do shopping, ela começou a chorar e para poder animar a mãe o filho resolveu instalar o “Pokémon Go” em seu celular, e logo quando os “bichinhos” começaram a aparecer na tela ela conta que gostou e acabou viciando no jogo.

Após isso tudo, Francisnete agora não se medica mais durante os dias, ela só toma remédio à noite ás vezes quando é necessário. Ela ainda segue o seu tratamento com uma especialista, mas garante que o jogo fez com que ela melhorasse muito de sua doença e bem estar, fazendo com que ela saísse mais de casa.

A filha mais velha da aposentada, Sweney de Lira Cardoso, de 29 anos, conta que a mãe não demonstrava mais felicidade devido a doença, e que as vezes não tinha vontade nem mesmo de tomar banho, e que isso era algo estranho para os filhos verem acontecendo com a mãe que sempre foi tão feliz.

A psiquiatra Raquel Pereira conta que a melhora de Francisnete aconteceu pois ela deixou de focar em coisas como apenas a vida acadêmica de seu filho, e também ampliou o seu campo de interesse na vida, fazendo com que ela se distraísse, e deu espaço para novas atividades.

 

- publicidade -

Escrito por Reginaldo Ribeiro Teodoro

Sou especialista em notícias da TV, fofocas de famosos e acontecimentos em geral. Também escrevo sobre acontecimentos no meio político.